26 de junho de 2013

Dia de Festa!

Tô sumida pra caramba! Já recebi reclamação por e-mail, facebook e telefone. É que aconteceram tantas coisas nesse mês de junho que eu, sinceramente, não sei onde ele foi parar...cadê os 30 dias que eu tinha direito? Já passaram. 

Minha vida ficou de pernas por ar a partir do dia em que Marido avisou que iria passar uma semana a trabalho no Brasil. Foi um corre-corre danado para arrumar as coisas pra ele levar, pois a viagem foi confirmada poucos dias antes. Marido viajou numa sexta-feira à noite e no sábado, levei as crianças ao Gardaland. Passamos o dia no parque que, por sinal, estava ótimo, e voltamos para dormir em Milão. No domingo, ficamos em casa, pois eu queria arrumar tudo para os meus pais que chegariam na quinta-feira seguinte. Além disso, as crianças resolveram comemorar o aniversário antecipadamente para aproveitar os coleguinhas da escola que ainda estavam por aqui. E, enquanto arrumava mala do marido, casa para receber meus pais, eu organizava a festa dos pequenos. E, para quem me acompanha por aqui, sabe que essa não é uma tarefa fácil! Ah! Já ia esquecendo, com o aniversário do marido chegando, resolvi fazer um vídeo com depoimentos dos amigos e familiares de presente. Isso significou quase 200 e-mails e mensagens trocadas com, mais ou menos, 40 pessoas. Tá bom ou quer mais? Tem mais. Com o final do ano letivo das crianças, a escola resolveu acabar com qualquer tempo livre dos pais e mães de alunos. Foi tanta reunião, apresentação, canto e dança que já valeu por uns 5 anos. Teve semana em que fui para a escola todos os dias! Some a tudo isso, cozinhar, arrumar a casa, organizar e realizar 2 viagens, levar menino pra tudo quanto é festa e atividade possível. Pronto. Esse foi meu mês de junho! E foi ótimo! 

O post de hoje vai ser sobre a FESTA. Vamos lá?

Como na festa do ano passado só haviam 12 amiguinhos (todo mundo viaja nas férias de verão por aqui), resolvemos antecipar o aniversário da Duda e do Marcello. Como meus pais chegariam dia 06/06, escolhemos o dia 12 para a festa, pois assim eles estariam por aqui, marido já teria voltado do Brasil e a criançada ainda estava em aula. Escolhemos o mesmo local do ano passado, pois em time que está ganhando, não se mexe. O grande problema foi o inverno prolongado que tivemos por aqui este ano. Sério, até a primeira semana de junho, só choveu e fez frio. Muito frio. Várias festas da escola foram canceladas ou adiadas por causa do tempo chuvoso. Mas, para os italianos que servem batata frita e pipoca de pacote fica fácil mudar o dia da festa. A nossa, com salgadinho, docinhos e decoração é mais complicada. E eu rezei. Rezei muito. Pra Santa Clara, São Pedro, Santo Antônio e São Pancrácio! Acho que até São Longuinho, que não tem nada a ver com chuva, recebeu prece minha. E funcionou. O dia estava lindo.

Duda escolheu o tema cupcake e Dudu, Super Mario bros. E adivinha? Não tinha quase nada pelas lojas de festa em Milão. Fui a umas 6. Nada. Aí, apelei pra turma do Brasil. Eu e minha irmã sempre fizemos altas festas para minhas sobrinhas. Minha irmã é a cabeça da dupla, pois é extremamente criativa, e eu sou as mãos, pois sempre realizei as coisas mais malucas que ela inventava. Cortei muita orelha de Minnie e de coelhinho nesta vida. Vocês não imaginam o quanto! Este ano, foi meu troco. Pus ela e minhas sobrinhas doidas por lá. Elas foram em mil lojas de coisas de festa, compraram tudo e montaram tudo pra mim. Meu trabalho por aqui foi montar as sacolinhas, distribuir os convites, resolver a comida, bebida, fazer os doces, encomendar os balões e decorar no dia. Foi uma festa ítalo-brasileira., pois seria impossível fazer do jeito que fazemos no Brasil. No parque onde fizemos a festinha, eu só tinha direito a 6 mesas e 2 toldos. Só. Pouco espaço pra decorar, mas muito espaço para brincar. Neste parque, é possível fazer até 8 festas ao mesmo tempo. Cada uma no seu toldinho e, além disso, o parque continua aberto ao público. Demos muita sorte, pois no dia 12 só tinha a nossa festa a partir das 16 e outra que começou beeem mais tarde. Parque exclusivo! Vou te dizer uma coisa: a italianada ficou doida com o pouquinho de decoração que fizemos, com as coxinhas e os docinhos. Ah! E servimos as bebidas geladas. Porque isso seria um diferencial? Talvez, pra você, caro leitor, pode não significar muita coisa, mas pra quem conhece festa italiana em dia quente, sabe o porquê disso ser tão importante pra mim!













Mas, o mais importante foi que meus filhotes amaram! Amaram tudo! O bolo, os doces, o parque. Foram 39 amiguinhos! Sucesso! E a festa que começou às 16h, terminou quase às 22h! E, não foram só os brasileiros que ficaram até o final, não. Duas italianas ficaram até quase o final. Na verdade, quando deu oito horas, nós recomeçamos a festa. Tirei os salgadinhs que eu já tinha guardado, compramos água e cerveja no bar e ficamos por lá. Crianças briancando e adultos comendo e bebendo. Delícia!

O parabéns foi ótimo. Cantamos 6 vezes. Três vezes pra Duda. Aí, fiz todo mundo ir pra outra mesa e cantamos mais 3 vezes para o Dudu. Em inglês, italiano e português. Lindo e inesquecível!












Aproveitamos os últimos convidados, todos brasileiros, e cada um ajudou carregando uma caixa ou sacola pro carro. Chegando em casa, meus filhos estavam agitados por causa da festa. Tomaram banho, brincaram bem pouquinho com os brinquedos novos e cama. No dia seguinte, escola. Por que por aqui, dia de festa é dia de semana! Diferenças culturais, a gente vê por aqui!

video

video

O que deu errado:

1. A saga dos balões. Minha irmã me mandou um saco de balões rosa com bolinhas marrons para decorar o lado de cupcake. A ideia era enchê-los com gás hélio. Além disso, resolvi encomendar umas guirlandas na mesma loja de balões do ano passado. Olhei no site e o horário de abertura era às 09:00. Cheguei lá 5 minutos antes. E esperei, esperei, esperei. Às 09:20, liguei para o número de telefone que estava colado na porta. Nada. Quando já estava no carro, quase saindo, toca meu telefone. O dono da loja, dizendo que dormiu demais, mas que chegava em 10 minutos. Esperei. 09:40 chegam os donos. Marco e a esposa. Simpáticos. Fiz minha encomenda, abri o saco dos balões que vieram do Brasil, eles falaram muito mal do cheiro dos nossos balões. Muito mesmo. Até fiquei envergonhada. Mas, convenci os 2 que eles não morreriam se enchessem 10 balões feitos de petróleo. E tirei os brasileiros da forca quando li, em voz alta, que os balões eram produzidos na argentina! hahahaha Los hermanos...tsc tsc. Depois de meia hora explicando o que queria, Marco me pergunta: pra que dia você quer? Respondi 12. E ele bem tranquilo: "mas, dia 12 eu e a fulana estaremos em Fomentera, na Espanha. Uma semana. A loja vai fechar". ÃHHH? Isso mesmo. Como aqui os negócios são beeem familiares, quando a família viaja, fecha. Simples. Capitalismo? Pra que? Vamos pra praia! Depois de muita conversa e muita cara de sofrimento, Marco ligou para um primo que topou fazer o serviço. Ufa!

2. A saga dos balões. O primo foi entregar os balões no parque. Quando ele entrou com os balões a gás, o funcionário do parque veio falar comigo que, naquele dia, eram proibidos balões a gás no parque. Motivo? Uma corrida de cavalos no hipódromo que fica coladinho ao parque. Se um balão voar, pode assustar o cavalo e aí o parque paga uma multa de 3.000 euros. Depois de muita, mas muita negociação, o homem deixou os balões fedidos entrarem e eu dei a minha palavra de que nenhuma criança iria pegar nos balões. Pense em uma criatura nervosa durante a festa. Tive que explicar a estória dos cavalos umas 839 vezes! E um balão voou...e o homem do parque não viu...ufa!

3. A saga dos bolos e salgados. Encomendei os bolos e salgados com duas brasileiras. Marquei a entrega para às 15:00. Elas chegaram às 17:00. Pontualidade brasileira! Mas, festa sem coxinha? Impossível. Ano que vem digo que a festa será às 14 e dará tudo certo!

O que deu certo:

1. TUDO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário